O SINPROESC – Sindicato Intermunicipal dos Professores no Estado de Santa Catarina, vem publicamente repudiar a política de cortes nos recursos para educação e cultura, assim como, direitos sociais e garantias de um piso salarial do magistério, conforme Lei no. 11.738/2008, que instituiu o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica.

O Projeto de Lei do Senado (PLS 409/2016) anula a política dos pisos do magistério e do pessoal da Saúde, com PARECER FAVORÁVEL, elaborado pelo Senador Otto Alencar (PSD/BA), e, trata-se de mais uma iniciativa que permite criar mecanismo para que a União, Estados e Municípios possam REDUZIR os percentuais de CORREÇÃO DE PISOS SALARIAIS NACIONAIS, com o do MAGISTÉRIO.

O Senador DALÍRIO BEBER (PSDB/SC), autor do projeto que flexibiliza os reajustes salariais para magistério, agentes de saúde, tem como objetivo “dar ao gestor público a opção de reajustar os salários pela inflação acumulada dos últimos 12 meses ou pela taxa de crescimento das receitas tributárias próprias somadas às transferências oficiais recebidas no exercício anterior.”

Estranhamente, o Senador Dalírio Beber (PSDB/SC) atento aos ditames da classe empresarial e sistema financeiro, sequer toca na conta estratosférica dos JUROS DA DÍVIDA pagos pela UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS. Em nenhum momento, o respectivo Senador observa que a PRECARIZAÇÃO e PERDA DE DIREITOS da maioria dos profissionais da educação estará sujeita ao crivo da permissiva decisão política em reajustar os pisos salariais pelo menor índice de correção.
O SINPROESC – Sindicato Intermunicipal dos Professores no Estado de Santa Catarina, representante dos profissionais da educação em Santa Catarina, conclama todos a REPUDIAR tal manobra fiscal que impõe mais sacrifícios aos profissionais da educação e saúde, com ardilosa política de ataque aos direitos e conquistas históricas de classes tão importantes no atendimento das necessidades da maioria da população para o futuro de Santa Catarina e do Brasil.

QUE CORTEM NA PRÓPRIA CARNE !!!

Os trabalhadores da educação estão cansados de pagar a conta de governantes, partidos políticos e parlamentares corrompidos à serviço de interesses privados.

Florianópolis (SC), 18 de Setembro de 2017.