Lagse, 25/09/2012, Correio Lageano, por Suzani Rovaris

Terminou o prazo para defesa da Uniplac sobre o processo referente ao pagamento da hora-atividade.

Ontem foi o último dia para a apresentação da defesa da Uniplac sobre o processo referente ao pagamento da hora-atividade dos professores. O Sindicato Intermunicipal dos Professores do Estado de Santa Catarina (Sinproesc) entrou com uma ação judicial em 2009 e, desde então, a hora-atividade vem sendo negociada judicialmente.

Por não ter apresentado nenhuma defesa, a Uniplac conseguiu adiar o julgamento sobre os mais de R$ 6 milhões que a universidade deve aos professores. A juíza da primeira Vara do Trabalho, Patrícia Sant’Anna, determinou que a Uniplac teria 10 dias para apresentar a defesa. Após isso, o Sinproesc tem o prazo de cinco dias para se manifestar e então o julgamento será feito.

De acordo com o advogado da Uniplac, Ângelo Spiller, a apresentação da defesa estaria sendo protocolada na tarde desta segunda-feira (24), dentro do prazo estabelecido.

A última proposta foi o pagamento de 75% da dívida em 60 parcelas. O sindicato aceitou em juízo, mas pediu para fazer uma assembleia com os professores para decidir oficialmente se aceitariam ou não. Antes da assembleia, a Uniplac marcou uma reunião com os professores para mostrar a proposta e em função disso, a assembleia com o sindicato foi cancelada.

“Estamos à disposição para negociar com o sindicato e lamentamos a não realização da assembleia. A defesa está sendo feita de forma processual. Caso a sentença for desfavorável, a Uniplac entrará com recurso”, afirma o Spiller.

 

Sinproesc aguarda decisão judicial

Segundo o presidente do Sinproesc, Carlos Magno da Silva Bernardo, o sindicato não aguardará o último dia do prazo estabelecido para se manifestar. “Esperamos pelo julgamento o quanto antes. Agora já não depende mais de nós e sim da sentença que deve estabelecer como o valor será pago”, afirma.

Segundo a juíza Patrícia Sant’Anna a partir do momento que a defesa seja apresentada e o Sinproesc tenha se manifestado, ela tem 10 dias para dar a sentença, mas acredita que essa semana as partes já saibam qual será a decisão final.

A dívida é referente ao não pagamento das horas-atividade dos mais de 200 professores, desde 2008. São cerca de R$ 6 milhões que a Uniplac alega não ter como pagar. Apesar de estar sob intervenção, a dívida não passará ao município.


Foto:Susana KUster