Dirigentes das Centrais Sindicais (CGTB, CTB, CUT, Força Sindical, Nova Central e UGT) se reuniram na segunda-feira (04), em São Paulo, para debater a organização da “Marcha pela cidadania, desenvolvimento e valorização do trabalho”, que será realizada no dia 6 de março, em Brasília. A Marcha terá como bandeiras: mudanças na política econômica; redução da jornada para 40 horas semanais; fim do fator previdenciário; reforma agrária; 10% do PIB para a educação; 10% do PIB para a saúde; regulamentação da Convenção 151 da OIT; ratificação da Convenção 158 da OIT; e uma política em defesa dos aposentados.

Foi aprovado o material que será usado na Marcha, como cartaz e jornal unitário. O objetivo das Centrais é iniciar a distribuição do jornal após o carnaval. Também ficou aprovado que a concentração do ato será no Estádio Mané Garrincha, partindo em seguida em passeata até a Esplanada dos Ministérios. O horário de concentração e outros detalhes serão definidos na próxima reunião sexta (8), às 9 horas, na sede da Força Sindical.

De acordo com o presidente da CGTB, Ubiraci Dantas de Oliveira (Bira), “as seis Centrais estarão juntas em prol de um Brasil melhor com desenvolvimento e distribuição de renda nessa grande manifestação em Brasília. Será alvo de debate a necessidade de revertermos essa situação de queda da produção e do parque industrial. É preciso retomar os investimentos e financiamentos públicos para não deixar a economia do Brasil paralisar. O BNDES tem que ser de fato um banco nacional para o desenvolvimento econômico e social. Isso significa apoiar a empresa genuinamente nacional, revertendo essa tendência de liberar recursos para as indústrias multinacionais”.

“Também é preciso priorizar nas compras do Estado as empresas genuinamente nacionais. Não tem cabimento fazer milhões de livros fora do Brasil enquanto a indústria gráfica nacional está prejudicada”,completouBira.

Fonte: CGTB – 05/02/2013