Formação e Valorização dos Profissionais da Educação.

No Sistema Nacional de Educação no campo das políticas educacionais, a formação, o desenvolvimento profissional e a valorização dos trabalhadores da educação (Professores e Administrativos), sempre estiveram presentes de alguma forma na agenda de discussão. Mas acredito que em nenhum outro momento tenha merecido tanta ênfase por parte dos agentes públicos e privadas. Percebemos também, que Formação e Valorização são termos indissociáveis, sendo fundamental a institucionalização de uma Política Nacional de Formação e Valorização dos Professores, que estejam conjugadas com SALÁRIOS DIGNOS, CONDIÇÕES DE TRABALHO e UMA CARREIRA PROMISSORA.

A política de Formação e Valorização dos professores deve estar associada a um Plano de Carreira para todo o magistério e a justa jornada de trabalho, com ações para melhorar a qualidade do ensino, como também, as condições

de vida, trabalho e o respeito pelos docentes, garantindo salários dignos, plano de carreira com critérios justos e claros para ascensão e a dignidade do exercício profissional.

 

Procurei fazer esse resgate histórico para mostrar minha indignação sobre o tratamento que as instituições de ensino dispensam para seus professores. Somos os formadores de uma sociedade que só pode alcançar um nível de excelência tendo uma educação de qualidade e seus mestres com salários dignos e condições adequadas de trabalho. Que qualidade em educação se quer, quando uma instituição de ensino superior de Santa Catarina demite todos os seus MESTRES E DOUTORES sem nenhum critério? Que confiança a sociedade vai ter nestes profissionais mal formados e despreparados. Será que apenas vale o LUCRO em detrimento à EDUCAÇÃO.

O Sindicato dos Professores no Estado de Santa Catarina – SINPROESC está preparado para realizar essa discussão, como também, fazer a defesa incondicional dos professores, buscando na justiça os direitos de nossa categoria.

“A Conferência Nacional de Educação nos documentos elaborados coloca que se deve proporcionar as condições para a definição de políticas educacionais que promovam a inclusão social de forma articulada, entre os Sistemas de Ensino, evidenciando a necessidade de se colocar a educação no centro das atenções do processo de desenvolvimento econômico, atuando como instrumento balizador para o desenvolvimento social do país.”

É importante ressaltar para que aconteça esse desenvolvimento, precisamos ter em sala de aula um professor preparado, motivado e respeitado, com condições de desenvolver seu trabalho, buscando tornar o aluno crítico e reflexivo, com plenas condições de interver nesta sociedade do conhecimento.

Qualidade em educação passa prioritariamente pela valorização dos professores.

Professor Carlos Magno da Silva Bernardo
Presidente do SINPROESC